terça-feira, 3 de agosto de 2010

Solidão

Corrente que trouxeste de outro mundo
Sombria alma que regressa
Névoa em que se perde neste mundo
Divida comigo tua existência

Quero tirar-te desta solidão amarga
Cerrar estas correntes que te prendem
Um passado que não mais interessa
Posso te mostrar a luz do meu horizonte
Venha comigo comungar a minha paz

Não uive para a lua, agradeça a sua luz
Que me desperta para a tua procura
Podes ficar em silencio te acharei em breve
Galgarei o precipício morro acima para
Buscar-te e amar-te

Curar tuas feridas, sarar as dores deste coração
Roubar-te das garras desta senhora..., a morte
Impiedosa e traiçoeira...

Não desanime me espere, seja paciente
Não seja egoísta nesta sua solidão
Não consigo ver você infeliz sem merecer
De novo ser feliz, tente e verás o quanto és
Capaz de novamente..., amar

Gerson(030810)

Nenhum comentário:

Postar um comentário