sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Gostava de ler livros sobre romance. Adorava se iludir mais e mais, lendo todo aquele conto de fadas perfeito, fazia-a começar a criar esperanças em cima de algo irreal, algo como “final feliz”, “principe encantado” […] Ela, por mais que soubesse o quão irreal era todo aquele conto, ela se via como uma das personagens, ou a personagem principal e sonhava, sonhava bastante com toda a história. Por mais que não quissesse, ela começou a acreditar em toda aquela história, em todo aquele amor, em toda aquela fantasia […]

Nenhum comentário:

Postar um comentário