domingo, 20 de novembro de 2011

”Um velho relógio estava sob a mesa de jantar, ela olhou confusa, não compreendia o porquê dele estar ali, afinal, a mãe detestava velharias. Pegou o relógio e levou até o avô, no primeiro momento ele reagiu espantado, mas segundos depois ele abriu um largo sorriso.
— Por que este relógio estava ali? O senhor sabe que a mamãe detesta velharias jogadas pela casa.
— Ah minha neta, não diga isto! Este relógio é muito importante, pertenceu a tua bisavó. Senta aqui, que irei te contar toda a história. Este relógio era vendido em uma dessas feiras de rua, e tua bisavó, por um acaso, ganhou um bom dinheiro e resolveu comprá-lo; ela o comprou na mão de um jovem rapaz, e depois dessa compra, eles passaram a se ver com frequência, até que ele se tornou o marido dela.
— A bisa comprou o relógio na mão do futuro marido? Nossa!
— É querida, e a partir deste dia, de geração por geração, foram passando este relógio para os primogênitos. E hoje, você está com 17 anos, acho que já está na hora, não achas? (ele coloca o relógio sob a mão da neta.)
— Mas o que farei com ele?
— Ele deverá ficar um tempo, com a pessoa que você mais ama.
— Ah, entendo.
A garota pega o relógio e caminha pela casa; encontra a sua mãe na sala de estar, e coloca o relógio sob o colo da mãe.
— Toma mamãe, pode ficar um tempo com ele.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário