terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Inconveniencia de uma lágrima


Estamos tão distantes hoje, né amor (desculpa, nem sei se ao menos ainda posso te chamar de amor) O tempo acabou por ser nosso maior inimigo, estamos tão distantes, tão sozinhos, um sem outro (na verdade estou falando por mim, não sei, tenho a impressão de você esta mesmo feliz sem mim).

Esses dias parei para olhar nossas fotos antigas, nossa! como doeu, doeu tanto ver que já não mais posso te tocar, que não posso te ter ao meu lado, foi tão estranho ressentir ao que para mim já era muito mais que resolvido, meu bem (e lá vem eu novamente, te chamando assim, pois é a força do hábito, mas não se preocupe vai passar) que saudade que deu, me deu aquela vontade quase que incontrolável de te ligar e dizer que eu te queria novamente, que nada aqui dentro do meu peito havia mudado, mas controlei, sei que não faria bem algum se eu voltasse a ter contato com você.

Apesar da saudade tenho sabedoria o suficiente, para saber que você está mais feliz sem mim, que talvez até já esteja com outra pessoa do seu lado (não quero nem saber disso), que talvez esteja vivendo mais sem me ter ao teu lado, mas não importa agora, pois tudo acabou, e hoje vejo que tudo o que eu vivi não passou de um lindo e bem vivido sonho.

Um comentário: