sábado, 16 de junho de 2012

O suicídio não acontece quando alguém corta os pulsos ou salta de uma janela com uma corda ao redor do pescoço. O verdadeiro suicídio acontece quando acordamos todos os dias do mesmo jeito que fomos dormir, quando o coração vazio continua vazio, quando a alma continua morta.

domingo, 10 de junho de 2012

Provocações - Uma Mulher Espera por Mim (Walt Whitman) - Abujamra - 28/0...

Provocações - A Piedade (Roberto Piva) Abujamra - 22/06/2011

Provocações - O Essencial é Saber Ver (Alberto Caeiro) - Abujamra - 14/0...

Provocações - A mulher do Próximo (Sérgio Kohan) - Antônio Abujamra

Provocações - A Verdadeira Dívida Externa (Guaicaipuro Cuatemoc) - Anto...

Provocações - A Arte (Elizabeth Bishop) - Antonio Abujamra - 15/03/2011

Provocações - Toda Mulher é (Rubens Jardim) - Abujamra - 19/07/2011

Provocações - Texto Final (Antônio Abujamra) - Abujamra - 26/07/2011

Provocações - Como é por Dentro Outra Pessoa (Fernando Pessoa) - Abujamra

Provocações - Duas Situações Interessantes (Jean Baudrillard) - Abujamra...

Provocações - O Guardador de Rebanhos (Fernando Pessoa) - Abujamra - 23/...

Provocações - Para que a Escrita seja (Cecília Meireles) - Abujamra - 09...

Provocações - Vivemos em um tempo (Ortega y Gasset) - Antonio Abujamra -...

sábado, 9 de junho de 2012

O que é eterno?

"Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundos, mas com tamanha intensidade que se petrifica e nenhuma força consegue destruir."

Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Eu estava numa palestra, quando um famoso palestrante começou um seminário numa sala com 200 pessoas, segurando uma nota de R$ 100,00. Ele perguntou: “Quem de vocês quer esta nota de R$ 100,00?” Todos ergueram a mão... Então ele disse: “Darei esta nota a um de vocês esta noite, mas primeiro, deixem-me fazer isto...” Então, ele amassou totalmente a nota. E perguntou outra vez: “Quem ainda quer esta nota?” As mãos continuavam erguidas. E continuou: “E se eu fizer isso...” Deixou a nota cair no chão, começou a pisá-la e esfregá-la. Depois, pegou a nota, agora já imunda e amassada e perguntou: “E agora?” “Quem ainda vai querer esta nota de R$ 100,00?” Todas as mãos voltaram a se erguer. O palestrante voltou-se para a platéia e disse que lhes explicaria o seguinte: “Não importa o que eu faça com o dinheiro, vocês continuaram a querer esta nota, porque ela não perde o valor. Esta situação também acontece conosco. Muitas vezes, em nossas vidas, somos amassados, pisoteados e ficamos nos sentindo sem importância. Mas não importa, jamais perderemos o nosso valor. Sujos ou limpos, amassados ou inteiros, magros ou gordos, altos ou baixos, nada disso importa! Nada disso altera a importância que temos. O preço de nossas vidas, não é pelo que aparentamos ser, mas pelo que fizemos e sabemos.

“Que a felicidade não dependa do tempo, nem da paisagem, nem da sorte, nem do dinheiro. Que ela possa vir com toda simplicidade, de dentro para fora, de cada um para todos. Que as pessoas saibam falar, calar, e acima de tudo ouvir. Que tenham amor ou então sintam falta de não tê-lo. Que tenham ideais e medo de perdê-lo. Que amem ao próximo e respeitem sua dor. Para que tenhamos certeza de que: ‘Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade’.”
Carlos Drummond de Andrade

“Quando amo
Eu devoro
Todo o meu coração
Eu odeio
Eu adoro
Numa mesma oração.”
Chico Buarque    

Rafaela Marques (via respostas-sinceras)

“E enquanto eu lia as mensagens antigas no meu celular, encontrei uma sua que dizia “eu te amo, não esquece”. É, e engraçado… Acho que quem esqueceu foi você.”

“Perdi meu tempo
querendo seu tempo.
E de tempo nenhum eu tive,
então é esperar que com o tempo cicatrize.”
Thiara Macedo (sdpm)

“Ele não vai te ligar e pedir desculpas, talvez não fale com você nem por internet. Não vai se arrepender de nada do que fez, e nem reconhecer que errou. Não vai perceber que está te perdendo aos poucos, ou que já perdeu. Não vai pedir pra que tudo volte a ser como era antes, ele está feliz assim. Não vai dizer para os amigos que sente a sua falta ou algo do tipo, e nem lembrar de você ao ouvir uma música. Ele não vai passar noites acordado pensando no quanto poderia ter dado certo, nem vai ficar imaginando planos que um dia poderiam se realizar. Não vai sentir ciúmes ao ver você conversando com outro menino, e com toda certeza do mundo, não vai passar horas no seu perfil só pra saber como foi seu dia, ou se você se interessou por alguém. Ele não vai perceber que fez a maior burrada de sua vida, nem vai se lamentar por ter perdido a pessoa que o fazia sorrir. Ele não vai compartilhar fotos de casais no facebook, e nem escrever coisas tristes no twitter. Ele não vai chorar, nem sofrer e muito menos morrer de amor. Não vai dar justificativas do por quê de tudo ter acabado, e nem vai querer saber o que você pensa sobre, e nem como você reagiu a tudo isso. Ele não vai sorrir ao te encontrar na rua, e se te ver, não vai ficar pensando o dia inteiro em como seu cabelo estava lindo, ou em como o seu sorriso é estonteante. Ele não vai correr atrás de ninguém, e provavelmente logo estará com a menina mais fácil que encontrou por aí. Ele não vai te amar, isso, se chegou a amar um dia.”
Marília Lopes.

“Essa não é mais uma carta de amor, são pensamentos soltos, traduzidos em palavras. Pra que você possa entender, o que eu também não entendo. Amar não é ter que ter sempre certeza, é aceitar que ninguém é perfeito pra ninguém, é poder ser você mesmo e não precisar fingir, é tentar esquecer e não conseguir fugir. Já pensei em te largar, já olhei tantas vezes pro lado, mas quando penso em alguém… É por você que fecho os olhos. Sei que nunca fui perfeito, mas com você eu posso ser, até eu mesmo, que você vai entender. Posso brincar de descobrir desenho em nuvens? Posso contar meus pesadelos, e até minhas coisas fúteis? Posso tirar a tua roupa? Posso fazer o que eu quiser? Posso perder o juízo… Mas com você eu tô tranquilo. Agora o que vamos fazer, eu também não sei. Afinal, será que amar é mesmo tudo? Se isso não é amor, o que mais pode ser? Tô aprendendo também.”
Jota Quest.
Então a pessoa se "afastou". Mas não parou de ver as fotos da pessoa, não parou de pensar nela, não parou de abrir a janela do msn, escrever "eu te amo" apagar tudo e ficar apenas admirando a foto dela, não parou de ler o que ela escreve no twitter, ela só parou de falar com a pessoa, ela está esperando que ela sinta sua falta, mas quase sempre não sente, alguns dias se passam, então ela não aguenta e vai la, mais uma vez e diz "ooi" no msn e a ilusão começa novamente[...]

“O amor se esgota."



Eu descobri isso ontem, quando o ex namorado da minha irmã ligou pra ela. 3 meses, 3 meses esperando qualquer sinal dele. Qualquer ligação, qualquer aparição, qualquer sinal de fumaça. E ele nada, e ele desaparecido. Não digo totalmente desaparecido, entendam isso como: E ele desaparecido da vida dela. Minha irmã diariamente recebia notícias dele, e era sempre como: Ontem eu vi seu ex numa balada que eu fui, ele está melhor do que nunca. E minha irmã deveria pensar coisas do tipo: Como ele podia estar bem, quando eu estava tão mal? Eu via ela chorar o dia inteiro, eu ouvia ela reclamar pra mim, pras amigas, e pra quem mais quisesse ouvir o quanto ela sentia falta dele. Ela o amava como ninguém mais o amaria, e ela fez de tudo por ele. Isso durou até semana passada. Minha irmã havia finalmente saído do transe em que ela estava, ela havia finalmente… Acordado. Colocou um vestido apertado, um sapato alto e saiu. Lembro até dela ter me chamado para ir, e ela estava com um sorriso enorme no rosto. Minha irmã saiu com as amigas de segunda à sexta, aproveitou tudo aquilo que ela tinha perdido. E ontem ele finalmente ligou.
“Você estava bonita ontem.”
“Você me viu?”
“Sim. Parece estar feliz.”
“Sim, finalmente.”
“Fico feliz por você, estou com saudades.”
E então, ela me surpreendeu. Não respondeu nada. Não chorou, não resmungou, não fez pirraça, não surtou. Simplesmente desligou o telefone, se arrumou, e saiu novamente. Disse que se ele ligasse, que era pra dizer que ela não estava. E que nunca estaria.
A necessidade por uma pessoa se esgota. E o amor também. Não importa qual tamanho seja ele, não importa quão enorme ele seja. O amor simplesmente se esgota.”
robin and stubb.