domingo, 31 de agosto de 2014

hoje a vida me ensinou que a arrogância não leva a nada fui tão ignorante com uma certa pessoa e hj ela foi a unica que me estendeu a mão .... então chega de hostilidade por uns tempos

domingo, 17 de agosto de 2014

“Já fui a melhor amiga do mundo, já fui daquelas que senta e ouve todos os problemas dos outros, tenta ajudar, chora junto se preciso for, que mesmo estando em situações terríveis pensava primeiro nos outros e se sobrasse um tempo eu veria o que faria com os meus problemas e ainda assim chegou o dia que eu realmente precisei e ninguém estava lá por mim. Sabe o que eu percebi? Que era uma pessoa rara, que era forte, que não precisava tanto assim dos outros, eu precisava de mim, então me tomei pra mim, me roubei dos outros, me tornei minha melhor amiga, hoje não aconselho tanto, fujo das lamentações alheias e se alguém disser que mudei, que não sou a mesma amiga de antes, que me tornei uma vadia egoísta, só tenho uma coisa a dizer: Estamos quites.”

domingo, 10 de agosto de 2014

"Faça uma lista de grandes amigos, quem você mais via há dez anos atrás... Quantos você ainda vê todo dia? Quantos você já não encontra mais? Faça uma lista dos sonhos que tinha... Quantos você desistiu de sonhar? Quantos amores jurados pra sempre... Quantos você conseguiu preservar? Onde você ainda se reconhece, na foto passada ou no espelho de agora? Hoje é do jeito que achou que seria? Quantos amigos você jogou fora... Quantos mistérios que você sondava, quantos você conseguiu entender? Quantos defeitos sanados com o tempo, era o melhor que havia em você? Quantas mentiras você condenava, quantas você teve que cometer? Quantas canções que você não cantava, hoje assobia pra sobreviver... Quantos segredos que você guardava, hoje são bobos ninguém quer saber... Quantas pessoas que você amava, hoje acredita que amam você?"

domingo, 3 de agosto de 2014

"É que têm dias que a gente não consegue se dar conta de que está prestando contas com o destino. A mudança parece brusca, mas foi tão sutil e contínua que parecia nula. E a alma vai buscando mais espaço, pois a evolução interna estica a pele da percepção para que caiba a sabedoria. E, repentinamente, a gente vira adulto e tira o luto. E aprende a brincar feito gente grande: a gente compreende que crescer doeu, matou várias ilusões, extirpou algumas companhias, mas nos ensinou a paciência, o discernimento e a escolher viver inteiramente dia após dia."