quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Prefiro ser rotulada de "grossa" por alguns, do que pagar de santa em troca de atenção. Prefiro não ser meiga do que migalhar tapinhas nas costas. Sou livre sendo a "bocuda", incomodo meio mundo por isso, mas não me anulo em troca de prestígio. Sou feliz nesse meu mundo desvairado. Enxergo a cada um, antes de qualquer coisa, como ser humano, mas pena que nem todos pensam assim. Por isso me enojo de gente covarde. Tenho preguiça de gente que rasteja, que aponta. Gente melancólica, de alma abafada, de um vazio sufocante... me cansa. Gente que espalha segredos, que puxa tapetes; gente que não lembra que o outro tem sentimento. Não lido bem com quem vive colocando culpa na inveja. Não engulo as "superioridades" que vejo. Odeio superficialidades, tenho medo de quem "ignora" demais. Está tudo muito cansativo, pessoas infladas, egos gritantes. É muita gente vazia, para um mundo tão cheio de vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário