domingo, 27 de dezembro de 2015



Cada um vê o mundo de uma maneira, com um olhar diferente. Ninguém é igual. Ninguém sente igual a outra pessoa. Todos temos vidas diferentes. Quem não sabe aceitar isso, sofre sem precisão. Eu aceito. A gente aprende, por bem ou por mal, a aceitar e a respeitar novos mundos e novas formas de se ver a vida.

domingo, 13 de dezembro de 2015



Se não fossem os traumas sofridos e as angústias vividas, jamais seria quem sou hoje. A vida ensina e fortalece, é caindo e levantando que nos tornamos mais fortes e melhores. Adquirimos humildade e nos tornamos seres superiores capazes de perdoar falhas alheias, o que de fato é essencial para a nossa felicidade.

domingo, 6 de dezembro de 2015



Se te incomodo tanto é porque devo ter algo de muito interessante no qual seu dinheiro não pode comprar. Meu bem, a essência da alma não se compra. Sorry!

domingo, 29 de novembro de 2015

domingo, 20 de setembro de 2015

"Ah, quer saber o que eu penso? Você agüentaria conhecer minha verdade? Pois tome. Prove. Sinta. Eu tenho preguiça de quem não comete erros. Tenho profundo sono de quem prefere o morno. Eu gosto do risco. Dos que arriscam. Tenho admiração nata por quem segue o coração. Eu acredito nas pessoas livres. Liberdade de ser. Coragem boa de se mostrar a quem vale a pena. Dar a cara a tapa!"

domingo, 6 de setembro de 2015

“Vou embora querendo alguém que me diga pra ficar. Estou sempre de partida, malas feitas, portas trancadas, chave em punho. No fundo eu quero dizer “Me impede de ir. Fica parado na minha frente e fala que eu tenho lugar por aqui, que não preciso abandonar tudo cada vez que a solidão me derruba. Me ajuda a levar a vida menos a sério, porque é só vida, afinal.” E acabo calada, porque não faz sentido dizer tudo isso sem ter pra quem.”
Veronica Heiss

domingo, 30 de agosto de 2015

morena branca de bandeira branca

‎Guardo pra mim as crises de identidade e a vontade de sumir. Não vou dissertar sobre minhas fragilidades e minhas inseguranças. Talvez eu te diga algumas vezes sobre minha tristeza, mas só pra ganhar um pouquinho mais de carinho. Ofereço meu bom humor e minha paciência e você deve saber que esta não é uma oferta muito comum.

domingo, 23 de agosto de 2015

Amor pungente e coração enfraquecido

Vocês não sabem o que têm nas mãos. Tocam os seios sem saber que no meio bate um coração, beijam bocas sem ouvir o que elas têm a dizer, fixam os olhos sem perceber que por trás há uma mente inquieta. São milhares de pensamentos e sentimentos que pulsam e se confundem, vocês deviam fazer mais que apenas assistir. Tenho pena dos que não se arriscam, dos que não pulam e gostam do morno, dos que se conformam com piscinas rasas e vidas rasas também. Tenho pena dos que vão embora cedo, dos que só viajam até a esquina, dos que pensam mil vezes antes de falar. Vocês não sabem o que têm nas mãos. E perdem amores por apostas, perdem companhia por desinformação e cumplicidade por medo. Perdem tempo. O meu e o de vocês.

domingo, 16 de agosto de 2015

Cá entre nós

Então eu deixo algumas coisas passarem incompletas porque tenho consciência de que certas palavras ainda não têm tradução. Por mais que eu grite, vai ter quem não entenda, não aceite. O que eu não aceito é ter nascido num mundo tão grande e conhecer só uma pequena parte. Vou voar. Quem conseguir compreender, que me acompanhe.
Verônica Heiss (via semiruiva)

domingo, 9 de agosto de 2015

'(...)parece que ela sente as cores do vento.'

Eles não estavam trocando juras de amor, não andavam de mãos dadas, nem se chamavam por nomes infantis. Não tinha pieguice romântica ali. Mas foi a cena mais doce que eu vi: dois olhares se encontrando. Não só se encontrando: se confortando, se sabendo, se completando. Eu notei que eles eram algo além de amigos, que se desejavam e se protegiam, e foi só pela cumplicidade dos olhos, que deixavam de ser dois e se enlaçavam quatro.
Eu quis então ter um olhar pra mim. Não alguém pra chamar de meu, como diz o clichê, como grita a conveniência, mas um olhar que fosse meu por puro encaixe.

domingo, 2 de agosto de 2015

Eu  sempre  acho  que  amanhã  será  o  dia  de  mudar  de  vez,  de  me  assumir  por  completo.  Mas  daí  o
amanhã  chega  e  tenho  uma  imensa  preguiça  de  sair  da  minha  área  de  conforto,  porque  é  bem
provável  que  ninguém  entenda.  E  dá  medo  encarar  o  que  é  definitivo.  E  porque  é  mais  fácil
reclamar da vida do que torná-la leve de sobreviver.
Hoje  eu  sinto  saudade  e  nem  sei  do  quê.  É  uma  angústia  louca,  um  misto  de  vontade  de  chorar  e
sorriso  leve.  Eu  não  sei  citar  motivos,  mas  alguma  coisa  me  falta.  Estou  ao  mesmo  tempo  feliz  e
deprimida,  tenho  companhia  e  nunca  fui  tão  sozinha,  tenho  sucesso  e  nunca  me  senti  tão
fracassada.
Eu  crio  mil  planos  pra  mim  e  boicoto  todos  eles.  A  vida  é  tão  cheia  de  ciclos  e  fases  e  eu  me  agarro
doentiamente  ao  conhecido.  Eu  evito  mudanças  drásticas,  sabendo  que  são  meus  impulsos  mais
interessantes e busco o conforto da mesmice. É ridículo, não há surpresas.
Ninguém  nunca  espera  que  eu  saia  dos  meus  limites.  Quem  me  conhece  de  verdade?  E  quem  sabe
dos  momentos  que  eu  estou  a  ponto  de  explodir?  As  saudades  são  grandes,  o  telefone  mudo.  Me
identifico  com  livros  e  personagens  e  nem  tenho  uma  história  pra  contar.  E  se  eu  contar,  quem  vai
se importar?
Eu  me  importo,  e  muito.  Quero  marcar  mais  quem  passa  por  mim,  quero  perder  esse  medo  de  não
agradar,  essa  preocupação  em  ser  o  que  todos  esperam.  Tentando  não  incomodar  ninguém  eu  fico
neutra. Invisível. E todas as minhas experiências de falta de preocupação já me indicaram que seria
bem melhor me assumir. Eu não sou tímida. Sou calculista.
E essa falta… Na verdade eu sei, mas não queria saber… É falta de mim.
Verônica Heiss

domingo, 26 de julho de 2015

Plano B

A vida em plano B acontece todos os segundos do dia, principalmente quando você não tem bem certeza se usa amarelo ou pretinho básico e deixa de sair porque não conseguiu se decidir sem gerar lágrimas nos olhos. "Estou feia", você pensa vendo alguma pele sobrar nos quadris. Acontece enquanto você está no trabalho com medo do seu chefe que nem se lembra do seu nome. Naquele momento em que você não devolve um olhar porque ainda está ferida pelo desastre do relacionamento anterior.

A vida em Plano B é quando por um lapso de consciência, você resolve sair de camiseta amarela e maquiagem borrada, percebe que seu chefe é só mais um ser humano frustrado que se dedica demais ao trabalho e que um olhar pode fazer esquecer a decepção da semana passada.

O Plano B é hoje. É agora.

Eu não sei se há vida nas próximas duas horas ou daqui 25 anos. Não sei se darei as mãos em frente ao mar sentindo que nada me falta, se minha preocupação será com o horário de pegar as crianças na escola, se comprarei cremes para as rugas e shampoo para cabelos grisalhos. Mas neste segundo eu posso afirmar com as minhas maiores convicções: o sangue passeia pelo meu corpo, o ar entra e sai dos meu pulmões, os segundos do relógio brigam com as pilhas fracas e passam correndo. Eu não posso ignorar. Eu não posso sentar e assinar papéis cheios de poeira enquanto o sol colore a pele de outras pessoas na praia. Não posso ver um avião decolar da janela de um escritório. Eu preciso estar no avião e ver tudo de cima. Hoje eu digo que estou viva e nada me impede de viver. Em todos os planos.

domingo, 19 de julho de 2015

Sobre partir


Vou porque preciso conhecer o mundo. Vou porque as fotografias não me satisfazem: preciso dos ares, dos arredores, dos autores. Mais do que a história de cada lugar, preciso conhecer quem narra o que é escrito. Conhecer as distâncias e fazer parte do dia-a-dia, ser vizinha de seu povo, me perder em suas ruas, tropeçar em suas pedras, provar da sua comida e falar sua língua. Ser meretriz em Barcelona, apaixonada em Veneza, livre em Paris. Me casar em Dublin, ser traída em Moscou, esquecer em Roma. Ter um apartamento grande com quartos e salas inúteis, um apartamento pequeno onde cada canto é casa, uma casa com sacada e janelas enormes que dão pro jardim.

É por isso que eu preciso ir embora. As roupas já não me cabem, o corpo já não me veste. O que eu sei já não me conforta. Sou doente de mim mesma e só consigo ser feliz quando deixo todas as minhas certezas e parto pro desconhecido. Porque partir é mais do que abandonar as origens, é se originar em outro canto e eu me reinvento todos os dias.

Vou porque o que tá lá fora me chama. Vou, nem que seja pra descobrir que meu lugar é aqui.

domingo, 12 de julho de 2015

Nuvens


Às vezes fico querendo me enlaçar e falho: as asas que criei não sabem pairar, só sabem voar longe onde ninguém mais tem coragem. O que é uma pena, porque a visão aqui de cima é incrível e meus pés, que não podem se prender ao chão, sentem falta de um outro par nas noites frias. É uma pena navegar sozinha num céu tão cheios de novidades e desafios.

Vai que um dia outro pássaro louco cruza teu caminho, eles dizem. Vai que. E eu me pego pensando se existe mesmo alguém em algum lugar capaz de acompanhar o ritmo destas asas. Vai que um dia ele aparece. Vai que.

domingo, 28 de junho de 2015

A pessoa chuta a prova toda da facu e acerta tudo,q isso produção! Queria chutar assim os números da mega,brigadu Jesus.

domingo, 31 de maio de 2015

Vejo muita gente querendo ser o que não é, só para seguir o padrão da sociedade, ou modinhas idiotas.
Gente querendo ter o que não é necessário, gente querendo fazer o que não gosta, e ser o que não é. Tudo para ser aceito pela sociedade, para não ser excluído e sim descolado.
Porém, por detrás de tudo isso, sacrifícios são feitos por coisas que nem sequer desejam e a tristeza por ser um ser incompleto lhe caí todas as noites.
Diante de qualquer circunstância, seja você! Não permitam que te manipulem, que te façam ser o que não te faz feliz. Não sinta vergonha de si mesmo, sinta orgulho, suas dores e cicatrizes ninguém têm, somente tu podes definir o que é bom ou não para si. Ninguém tem a capacidade de vestir a pele que te envolve, de sentir os calafrios e sentimentos que te invadem; isso é presente só seu e de mais ninguém. Jamais abra mão disso. Seja real e tenha caráter! Nós nunca poderemos voltar atrás, voltar a estar no mesmo lugar, ao mesmo tempo, não podemos voltar atrás no tempo para apagar as coisas que fomos fazendo, ou proteger-nos do sofrimento que sentimos no passado. Nós já sabemos que desejar que pudéssemos mudar o passado é algo inútil, mas como seres humanos que somos, muitos de nós continuaremos a lamentarmo-nos e a ter a esperança de voltarmos a ter a chance de fazer tudo novamente. Mas porquê? Aprenda a gerir as emoções e a ter controle na sua vida.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Status

Somente quem já derrapou nas curvas e caiu em abismos, sabe os caminhos, conhece os desvios, aprendeu que nossa história se faz de percursos, muitas vezes íngremes e que é preciso a turbulência para que busquemos o equilíbrio. É necessário a escuridão, para que enxerguemos a luz."

terça-feira, 19 de maio de 2015

Ser feliz é uma escolha diária que se faz a cada manhã. Não adianta fazer planos astronômicos, nem encher contas bancárias enquanto sua alma está vazia. Ama-se tanto as coisas materiais que amar vale menos que ganhar na loteria. Não preciso de grifes nem de carros importados para sorrir. Sou grata pelo que tenho e valorizo com alegria o tanto que me é dado. Alegria tem que ser real, e não esta vista de coisas futeis.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Gente que reclama de tudo!

Vejo tantas reclamações e nem me arrisco a dizer qual delas é mais fútil. O que mais me deixa irritada com tudo isso é, você que está aí reclamando se esquece de que você tem muito mais motivos para agradecer do que infernizar a vida alheia com sua raiva”...Enquanto você está aí reclamando de coisas fúteis, tem gente que por motivos de doenças, deficiências, etc não conseguem realizar simples tarefas do seu dia-a-dia e estão agradecendo pelo que tem, superando suas dificuldades em vez de reclamar sobre o que não tem/não faz/não consegue ou o que as pessoas estão fazendo. Não gosta do mundo, sai dele!

domingo, 3 de maio de 2015

DICA DO DIA: Não perca tempo com reclamações, mágoas, sentimentos de inferioridade, baixa autoestima, preconceitos e atitudes de autodestruição. Isto é uma forma lenta de suicídio. Fazendo isso você está se matando aos poucos. Primeiro morrem seus sonhos, depois sua motivação, depois sua atitude e, assim, dia a dia você destrói suas possibilidades de ser feliz. Use seu tempo em favor da vida!
Paz e Alegria,
Carlos Hilsdorf

domingo, 19 de abril de 2015

Texto adaptado do grande sertão veredas de Guimarães Rosa - A crença e a descrença



É por isso que se carece muito de religião , ´pra desdoidar , pra desendoidecer mesmo.
O que eu mais penso atesto e explico é que todo mundo é louco , é louco!
Reza é que cura da loucura !
No geral!
Muita religião seu moço.
Eu cá é que não perco ocasião de uma boa religião.
Eu aproveito de todas.
Uma só pra mim é pouco , talvez não me chegue.
Eu bebo água de tudo quanto é rio.
Eu rezo cristão, católico e embrenho um sete.
E aceito as preces do meu cumpadre que ele é membro, a doutrina dele é do Kardeck.
Quando posso vou no mindubinho de um tal de Mathias , é crente metodista.
A gente lê alto a bíblia.
Chinga muito de pecador , e ora e ora cantando hinos belos pra Deus.
Tudo isso me aquieta , tudo isso me suspende.


domingo, 29 de março de 2015

A nota de 100 reais

Um famoso palestrante começou um seminário numa sala com 200 pessoas,segurando uma nota de R$100,00.
Ele perguntou:- Quem de vocês quer esta nota de R$100,00?
Todos ergueram a mão...
Então ele disse: - Darei esta nota a um de vocês esta noite, mas, primeiro,deixem-me fazer isto...Então, ele amassou totalmente a nota.
E perguntou outra vez:- Quem ainda quer esta nota?
As mãos, continuavam erguidas...
E continuou:- E se eu fizer isso?
Deixou a nota cair ao chão, começou a pisá-la e esfregá-la.
Pegou a nota, agora já imunda e amassada e perguntou:- E agora?...
Quem ainda vai querer esta nota de R$100,00?
Todas as mãos voltaram a se erguer.O palestrante voltou-se para a platéia e disse que lhes explicaria o seguinte:- Não importa o que eu faça com o dinheiro, vocês continuaram a querer esta nota, porque ela não perde o valor.
Esta situação também acontece conosco...
Muitas vezes, em nossas vidas, somos amassados, pisoteados e ficamos nos sentindo sem importância.
Mas, não importa, jamais perderemos o nosso valor.
Sujos ou limpos, amassados ou inteiros, magros ou gordos, altos ou baixos, nada disso importa!
Nada disso altera a importância que temos!
O preço de nossas vidas, não é pelo que aparentamos ser, mas, pelo que fizemos e sabemos!
Agora, reflita bem e procure em sua memória:
1 - Nomeie as 5 pessoas mais ricas do mundo.
2 - Nomeie as 5 últimas vencedoras do concurso Miss Universo.
3 - Nomeie 10 vencedores do prêmio Nobel.
4 - Nomeie os 5 últimos vencedores do prêmio Oscar, como melhores atores ou atrizes.
Como Vai? Mal, né? Difícil de lembrar?
Não se preocupe! Ninguém de nós se lembra dos melhores de ontem.
Os aplausos vão-se embora!
Os troféus ficam cheios de pó!
Os vencedores são esquecidos!
Agora, faça o seguinte:
1 - Nomeie 3 professores que te ajudaram na tua verdadeira formação.
2 - Nomeie 3 amigos que já te ajudaram nos momentos difíceis.
3 - Pense em algumas pessoas que te fizeram sentir alguém especial.
4 - Nomeie 5 pessoas com quem transcorres o teu tempo.
Como vai? Melhor, não é verdade?
As pessoas que marcam a nossa vida não são as que têm as melhores credenciais,com mais dinheiro, ou os melhores prêmios...
São aquelas que se preocupam conosco, que cuidam de nós, aquelas que, de algum modo, estão ao nosso lado.
Reflita um momento...
A vida é muito curta...
Você, em que lista está?

domingo, 22 de março de 2015

O que não dizemos nos mata...


Sabe para onde vão as palavras não ditas?

Aonde vai o que queremos fazer e não fazemos?

Aonde vai aquilo que queremos dizer e não dizemos?
Aonde vai aquilo que você não se permite sentir?
Nós gostaríamos que as palavras não ditas fiquem no ouvido,
mas o que não dizemos se acumula no corpo,
enche a alma de gritos mudos.
O que não dizemos se transforma em insônia,
em dor de garganta.
O que não dizemos se transforma em nostalgia em hora errada, em perda de tempo.
O que não dizemos se transforma em dever, em dúvida , em dívida, em assinatura pendente.
As palavras que não dizemos se transformam em insatisfação , em tristeza , em frustração.

O que não dizemos não morre, nos mata.

domingo, 8 de março de 2015

Detesto cara de bunda


Que culpa tenho eu se sua vida é uma merda?
Que culpa tenho eu se você é infeliz?
Que culpa tenho eu se você não quer ajuda?
Que culpa tenho eu se tudo na sua vida dá errado?
Que culpa tenho eu se a umidade relativa do ar não te agrada?
Que culpa tenho eu se você levou um pé na bunda?
Que culpa tenho eu se seu celular não está pegando?
Que culpa tenho eu se voc^eperdeu alguma coisa?
Que culpa tenho eu se você nasceu sem pedir?
Enfim, eu não tenho culpa de nada de errado que acontece na sua vida, portanto SAI DA MINHA FRENTE COM ESSA CARA DE BUNDA...!

domingo, 1 de março de 2015

Eu sempre digo que há amigos e amigos. Aqueles que depois
de um tempo sem contato não sabemos nem puxar conversa. Outros não, ainda que fiquemos anos sem vê-los, no minuto seguinte ao reencontro já estamos rindo à beça.

Noemi Prates.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

DIALOGANDO COMIGO NESSA MANHÃ DE ESPERANÇA
COMUNHÃO COM O UNIVERSO
Vivian Weyrich
“Algumas vezes a sua fé será dilacerada pelas provas. Ainda assim, este vale escuro não apagará a sua chama! Há um espírito que lhe ama profundamente e este lhe trará à tona para voar nas asas da vitória! E, mesmo que o vale pareça interminável, as promessas desse espírito jamais serão esquecidas…
Nada em sua vida acontece por acaso, assim como não somos influenciados por energias que venham de fora a não ser que compactuemos com essa vibração. O universo é a força de Deus que diz: Estou olhando para a energia subjacente que habita seus pensamentos. Estou sorvendo com grande força a inclinação de seus sentimentos. Nada me escapa, estou sempre de olho em você, pois é só a partir desses sensores que posso criar e ser justo com o seu estar no mundo que é também o meu estar no mundo."

domingo, 8 de fevereiro de 2015

A minha arma contra o maligno é UM (53) o Santo terço , 53 balas carregadas no peito do inimigo não tem Arma melhor !!!

domingo, 1 de fevereiro de 2015

O invejoso

O invejoso só vai te aplaudir, se esses aplausos não apagarem ele.
O invejoso só vai te elogiar, se esses elogios não ferirem o ego dele.
O invejoso só vai te promover, se essa promoção for abaixo dele.
O invejoso só vai te reconhecer, se esse reconhecimento não ameaçar o prestígio dele.
No entanto... Nunca espero que um invejoso levante para aplaudir o teu melhor espetáculo, nunca espere que um invejoso te elogie no teu melhor momento, nunca espere que um invejoso te promova no teu maior talento e nunca espere que o invejoso te reconheça, porque ele é incapaz de reconhecer pessoas mais capacitadas do que ele.
É muito fácil reconhecer um invejoso, porque ele finge não te ver, porém, é o que mais te observa, tanto que, suas atitudes, passam a ser similares as tuas. Porque todo invejoso é genérico daquele que ele mais deseja ser.

domingo, 25 de janeiro de 2015

"Quando alguém te causar alguma injustiça, defenda-se de imediato usando a arma mais potente de todos os tempos: A Oração. Ela atinge o alvo, não danifica o corpo, enobrece a alma dos fracos de espírito, fortalecendo a sua." Bom sonhos

domingo, 18 de janeiro de 2015

Existem pessoas que sempre andam ao nosso lado e se dizem amigas, mas quando você consegue algo que espera e conquista a felicidade, elas demonstram no tom de voz e no olhar, a insatisfação ao lhe ver brilhar.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Meu bem, não adianta bancar a periquita extraordinária por aí, e viver implorando afeto pra macho que te esnoba. Passa um blush de vergonha na cara, volta lá onde você deixou sua autoestima, e recupera teu amor-próprio. Quem vive acomodado em superficialidades, tende a camuflar sua verdadeira realidade.

domingo, 4 de janeiro de 2015

Olha minha amiga, vem cá que vou te dizer uma coisa: "em nome do amor" você decidiu se anular. "Em nome do amor" você se deixou apagar. "Em nome do amor" você prefere o que ele prefere, se cala quando convém ao "bonito" e se priva só pra ele não se estressar. Em nome do amor por quem, você se comporta assim? Você não se queixava, vivia sorrindo e dançava sua própria música. Depois que o "amor" surgiu, ninguém mais ouviu falar de ti. Amor é bom, quando acrescenta e faz valer a pena cada momento. Não tem que existir "em nome do amor eu não fiz isso ou aquilo". Em nome do amor por VOCÊ, você sabe amar ao outro, respeitá-lo e ter sua vida, seus sonhos e vontades respeitadas. Em nome do amor por nós mesmas, rejeitamos rédeas. Em nome do amor-próprio somos livres. Se "em nome do amor" você está sufocando minha linda, significa que esse "amor" tem sido muito egoísta, e está na hora de mostrar pra ele quem manda no barraco e que, em nome do seu amor por você, você está retomando as rédeas de sua vida.