domingo, 30 de agosto de 2015

morena branca de bandeira branca

‎Guardo pra mim as crises de identidade e a vontade de sumir. Não vou dissertar sobre minhas fragilidades e minhas inseguranças. Talvez eu te diga algumas vezes sobre minha tristeza, mas só pra ganhar um pouquinho mais de carinho. Ofereço meu bom humor e minha paciência e você deve saber que esta não é uma oferta muito comum.

domingo, 23 de agosto de 2015

Amor pungente e coração enfraquecido

Vocês não sabem o que têm nas mãos. Tocam os seios sem saber que no meio bate um coração, beijam bocas sem ouvir o que elas têm a dizer, fixam os olhos sem perceber que por trás há uma mente inquieta. São milhares de pensamentos e sentimentos que pulsam e se confundem, vocês deviam fazer mais que apenas assistir. Tenho pena dos que não se arriscam, dos que não pulam e gostam do morno, dos que se conformam com piscinas rasas e vidas rasas também. Tenho pena dos que vão embora cedo, dos que só viajam até a esquina, dos que pensam mil vezes antes de falar. Vocês não sabem o que têm nas mãos. E perdem amores por apostas, perdem companhia por desinformação e cumplicidade por medo. Perdem tempo. O meu e o de vocês.

domingo, 16 de agosto de 2015

Cá entre nós

Então eu deixo algumas coisas passarem incompletas porque tenho consciência de que certas palavras ainda não têm tradução. Por mais que eu grite, vai ter quem não entenda, não aceite. O que eu não aceito é ter nascido num mundo tão grande e conhecer só uma pequena parte. Vou voar. Quem conseguir compreender, que me acompanhe.
Verônica Heiss (via semiruiva)

domingo, 9 de agosto de 2015

'(...)parece que ela sente as cores do vento.'

Eles não estavam trocando juras de amor, não andavam de mãos dadas, nem se chamavam por nomes infantis. Não tinha pieguice romântica ali. Mas foi a cena mais doce que eu vi: dois olhares se encontrando. Não só se encontrando: se confortando, se sabendo, se completando. Eu notei que eles eram algo além de amigos, que se desejavam e se protegiam, e foi só pela cumplicidade dos olhos, que deixavam de ser dois e se enlaçavam quatro.
Eu quis então ter um olhar pra mim. Não alguém pra chamar de meu, como diz o clichê, como grita a conveniência, mas um olhar que fosse meu por puro encaixe.

domingo, 2 de agosto de 2015

Eu  sempre  acho  que  amanhã  será  o  dia  de  mudar  de  vez,  de  me  assumir  por  completo.  Mas  daí  o
amanhã  chega  e  tenho  uma  imensa  preguiça  de  sair  da  minha  área  de  conforto,  porque  é  bem
provável  que  ninguém  entenda.  E  dá  medo  encarar  o  que  é  definitivo.  E  porque  é  mais  fácil
reclamar da vida do que torná-la leve de sobreviver.
Hoje  eu  sinto  saudade  e  nem  sei  do  quê.  É  uma  angústia  louca,  um  misto  de  vontade  de  chorar  e
sorriso  leve.  Eu  não  sei  citar  motivos,  mas  alguma  coisa  me  falta.  Estou  ao  mesmo  tempo  feliz  e
deprimida,  tenho  companhia  e  nunca  fui  tão  sozinha,  tenho  sucesso  e  nunca  me  senti  tão
fracassada.
Eu  crio  mil  planos  pra  mim  e  boicoto  todos  eles.  A  vida  é  tão  cheia  de  ciclos  e  fases  e  eu  me  agarro
doentiamente  ao  conhecido.  Eu  evito  mudanças  drásticas,  sabendo  que  são  meus  impulsos  mais
interessantes e busco o conforto da mesmice. É ridículo, não há surpresas.
Ninguém  nunca  espera  que  eu  saia  dos  meus  limites.  Quem  me  conhece  de  verdade?  E  quem  sabe
dos  momentos  que  eu  estou  a  ponto  de  explodir?  As  saudades  são  grandes,  o  telefone  mudo.  Me
identifico  com  livros  e  personagens  e  nem  tenho  uma  história  pra  contar.  E  se  eu  contar,  quem  vai
se importar?
Eu  me  importo,  e  muito.  Quero  marcar  mais  quem  passa  por  mim,  quero  perder  esse  medo  de  não
agradar,  essa  preocupação  em  ser  o  que  todos  esperam.  Tentando  não  incomodar  ninguém  eu  fico
neutra. Invisível. E todas as minhas experiências de falta de preocupação já me indicaram que seria
bem melhor me assumir. Eu não sou tímida. Sou calculista.
E essa falta… Na verdade eu sei, mas não queria saber… É falta de mim.
Verônica Heiss